Natural de São Paulo (1978). Radicado em Sorocaba desde 1986. Começou a trabalhar bem cedo, aos 11 anos. Foi guarda-mirim (espécie de "office boy"), garçom, ferramenteiro e, enfim, formou-se em Direito, atuando até então como advogado. Foi professor de legislação no SENAC-SP durante 4 anos. O constante contato com a escrita tornou-se uma paixão e o fez descobrir-se escritor, atividade que tem levado a sério desde 2013.

É uma pessoa comum, com um certo nível de loucura, pois nos dizeres do grande escritor Rubem Fonseca, de quem é admirador confesso, em citação de outro grande pensador, "todo escritor de certa forma é louco, e sua loucura é uma forma socialmente aceita".


Relação com a escrita
A escrita faz parte de seu cotidiano, é sua ferramenta de trabalho e de lazer. Não chega a ser um paradoxo, mas exerce sua profissão pela escrita, e também relaxa e se diverte com ela, materializando sua imaginação e opinião por contos, crônicas, novelas, romances, artigos e poesias.

Para o escritor, "escrever é o ato de transportar-se a outra dimensão, em que o mundo das palavras oferece uma ilimitada possibilidade de situações e visões sobre um determinado fato."
E complementa...

"Escrever é o privilégio de tornar-se imortal, perpetuar-se através dos tempos, das gerações e sem limites. É a oportunidade de flertar com a onipresença, pois a escrita tem a capacidade de multiplicar o escritor, levando-o a diferentes lugares para dialogar com as mais variadas pessoas."
_________________________________________________________________________